sexta-feira, 19 de abril de 2013

O skinhead e os reaças de esquerda


Ontem, o BHAZ publicou um vídeo satirizando o skinhead Donato. O final insinua as violências físicas e sexuais que o preso agora, na cadeia, irá sofrer. Outro dia, circulou uma foto do mesmo Donato com machucados frutos de socos que levou de outros presos. Detido, sob a tutela do Estado, Donato deveria estar resguardado, assim como tantos outros, de atos como esses. Tanto o vídeo quanto a foto foram amplamente compartilhados.  

Festejados pela maioria, os hematomas do skinhead que maltrata moradores de rua e, mais ainda, a possibilidade dele ser estuprado como retaliação, foram aplaudidos até por pessoas que quase sempre estão, ao menos virtualmente, ao lado das minorias. Defensores de um mundo menos sexista, machista, racista e homofóbico, pessoas a quem Feliciano não representa, defendendo também, pasmem, o olho-por-olho, o estupro e, em uma análise mais profunda, a violência do Estado. 

Achar que uma pessoa tem que apanhar por ser um criminoso repugnante é legislar a favor da tortura. Porque não podemos nunca, nem mesmo por um segundo, nem mesmo para punir um nazista, tolerar que um ser humano seja violentado. Porque não podemos ter, nesse ponto, nenhuma única exceção. Devemos nos lembrar sempre de que exceções podem abrir terríveis precedentes. Porque devemos cobrar que o Estado proteja os seus cidadãos, todos eles, inclusive a população carcerária. Porque não podemos ser guiados pelo desejo de desumanizar, assim como Donato faz com os moradores de rua. Porque isso é nos igualar a ele. 

Quando me dizem que existem policiais que não se deixam corromper pelo sistema, eu argumento que nunca soube de um que tenha denunciado seu superior por este ter dado um único tapa em um criminoso já algemado. Porque não devemos aceitar que exista nenhum único tapa arbitrário. 

Donato merece ser preso e condenado, não espancado, não estuprado. Porque nunca, jamais, em tempo algum, nem diante daquilo que mais nos enoja, podemos defender o uso de força do mais forte contra o mais fraco. Porque a nossa luta deve ser por justiça, não por vingança.

2 comentários:

  1. Oi.
    Não conhecia teu blog, e cheguei até ele hoje por que um colega de trabalho postou uma referência e este texto no Facebook. Achei muito legal, excelente texto e ótimas ideias. Concordo com muitas delas, quase todas. Eu só diria que no último parágrafo, onde está "Donato merece ser preso e condenado, não espancado, não estuprado.", eu trocaria o verbo 'merece' pelo verbo 'deve'. Por que concordo contigo que o dever do Estado é exatamente esse. Mas me perdoe, o Donato, ou alguém que age como ele, merece sim ser espancado e até mais.
    Policiais que batem no cara que foi preso logo depois de ter trocado tiros com eles, por exemplo, estão errados, porque eles são o Estado. Mas são humanos, e estão num momento de stress, e o vagabundo que há poucos minutos tentou matá-los e provavelmente já tinha feito coisa pior com outras pessoas antes, não deve, mas merece apanhar.
    Eu sei que o teu texto tem também o caráter didático, e concordo com você nisso. Se concordarmos com o espancamento dos Donatos, todo mundo vai se achar no direito de espancar até um vizinho de quem não goste. Esse é o mal de nós, os seres humanos...
    Parabens de verdade pelo texto, vou ficar fã do blog.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir